A diabetes e os olhos

Pode não parecer, mas pacientes diabéticos devem manter uma atenção redobrada nos cuidados com os olhos. Saiba, algumas das complicações que podem surgir a partir da doença.

            O número de brasileiros que sofrem com a diabetes chega a somar 16 milhões, segundo os dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), consagrando ao Brasil a quarta colocação no ranking dos países com o maior número de casos. Tratando-se de uma doença crônica caracterizada pelos altos níveis de açúcar no sangue (glicose), pouca gente associa esta enfermidade a problemas oculares. No entanto, o mau gerenciamento das taxas glicêmicas prejudicam, e muito, a nossa visão, podendo até mesmo levar à cegueira. Dentre as complicações decorrentes da diabetes, podemos elencar três de maior gravidade: o glaucoma, a catarata e a retinopatia diabética.

            O glaucoma representa 40% de chance de desenvolver-se numa pessoa diabética, segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes, e, resumidamente pode ser definido como um grupo de doenças que danificam o nervo óptico, alterando-se a pressão dos olhos de maneira a elevá-la, o que pode levar, gradualmente, à perda da visão.

            Já a catarata, segundo a mesma Sociedade Brasileira de Diabetes, representa 60% a mais de chance de desenvolver-se naqueles que possuem a doença, e é caracterizada por uma opacidade da lente natural do olho, ou seja, o cristalino, que é a lente clara do olho, acaba por sofrer um embaçamento.

            Por fim, temos a retinopatia diabética que nada mais é do que um termo genérico o qual define todos os problemas que atingem os vasos sanguíneos no tecido da parte traseira do olho, a retina. Podem ser constatados dois tipos mais comuns de retinopatia: o não-proliferativo, que vem a ser a fase inicial, e o proliferativo, o mais sério dos dois. Essa complicação pode surgir mesmo sem o paciente notar qualquer diferença em sua visão, fazendo com que venha a procurar tratamento médico já em casos mais avançados de agravamento da doença. Nesse sentido, quanto mais cedo for descoberta, a probabilidade de sucesso no tratamento só aumenta.

            Em qualquer dos casos, para além de manter-se atento ao controle da glicose no sangue, é importante atentar-se também a alguns sintomas que podem aparecer em estágios mais avançados dos problemas oculares, tais como: visão embaçada, flashes de luz no campo de visão, perda repentina de visão e manchas na visão. Destacamos, ainda, a necessidade de se consultar um oftalmologista de sua confiança anualmente, sem esquecer, claro, de informar da sua condição de paciente diabético.

Comentários: