Ceratite: cuidados e tratamentos

Dando continuidade ao texto anterior, confira abaixo alguns cuidados e tratamentos relacionados ao surgimento da ceratite.

 

            No texto anterior, falamos um pouco sobre esta doença ocasionada por uma inflamação na córnea, a ceratite. Hoje, abordaremos os cuidados básicos para prevenir a doença e algumas formas de tratamento, no caso da ceratite já ter se manifestado.

            Sabemos que um dos fatores que causa a ceratite é o manuseio inadequado de lentes de contato. Nesse sentido, uma das principais medidas preventivas é atentar-se para algumas situações que envolvem o uso das lentes e que são capazes de potencializar o surgimento da doença, tais como: adormecer, mergulhar ou nadar sem tirá-las; manusear as lentes de contato sem lavar as mãos; utilizar soluções de limpeza e desinfecção vencidas ou de procedência duvidosa; guardar as lentes de contato em água da torneira; não trocar com certa regularidade tanto as lentes quanto a proteção das mesmas; ou, ainda, colocar as lentes de contato com as mãos molhadas. Em resumo, é preciso seguir à risca as recomendações do seu oftalmologista e do fabricante quanto ao uso, a manutenção e os prazos de validade.

            Outros cuidados essenciais dizem respeito aquelas pessoas que trabalham expostas a substâncias químicas ou chamas e faíscas. É preciso que seus olhos permaneçam sempre resguardados por equipamentos de proteção individual a fim de não sofrerem qualquer lesão decorrente do meio de trabalho em que atuam. Isso vale também para cuidados diários envolvendo possíveis situações de risco que sejam capazes de lesionar a região ocular.

            Quanto às formas de tratamento, não há uma em específico, uma vez que elas variam de acordo com o fator que deu origem à doença. Lembremo-nos, como visto em nosso último texto, que a ceratite pode estar associada a infecções causadas por bactérias, vírus, fungos ou parasitas. No caso de inflamações provocadas por bactérias e fungos, utilizam-se antimicrobianos adequados para combater o microrganismo responsável pelo quadro. No caso de constatar-se uma ceratite viral, é preciso apenas medidas de suporte até que, naturalmente, o organismo dê conta de combater o vírus que a ocasionou. Por fim, quando a ceratite manifesta-se em virtude de traumas ou fatores externos, como exposição à luz ultravioleta, por exemplo, pode haver a necessidade do uso de anti-inflamatórios, da realização de lavagens e da oclusão do olho afetado, medidas essas que podem acontecer em conjunto ou separadamente.

            Contudo, o mais importante é marcar uma consulta com o seu oftalmologista ao serem constatados os primeiros incômodos e verificar com ele o tratamento mais adequado para o tipo de ceratite manifestada. De resto, todo cuidado é pouco e manter uma rotina que priorize o cuidado com a visão é essencial em qualquer caso.

 

Agende uma consulta com o oftalmologista, aqui.

Comentários: