O que é ceratite?

A doença sobre a qual falaremos hoje pode começar como algo sem importância e, no entanto, levar a consequências bastante sérias. Acompanhe no texto a seguir:

 

            A ceratite, basicamente, é uma inflamação da córnea, aquela parte de estrutura cristalina localizada em frente ao olho, que envolve a pupila, e através da qual todos nós conseguimos enxergar as coisas ao nosso redor. Ela pode ou não estar associada a algum tipo de infecção causada por bactérias, vírus, fungos ou parasitas. Quando não infecciosa, a sua causa pode estar numa lesão por vezes pequena, como por exemplo quando se usa lentes de contato por muito tempo ou quando um corpo estranho acaba se perdendo em nossos olhos.

            Para sermos mais específicos, portanto, podemos listar algumas razões que levam ao aparecimento da ceratite, começando por esta última que acabamos de citar. Se algum objeto arranhar ou ferir a superfície da córnea, uma ceratite não infecciosa pode vir a ocorrer. No entanto, uma tal lesão é capaz de permitir que microrganismos tenham acesso à córnea ferida, ocasionando uma ceratite infecciosa. Outra situação associada ao aparecimento da ceratite é o uso de lentes de contato contaminadas. Bactérias, fungos ou parasitas podem muito bem habitar a superfície de uma lente de contato ou estojo de lentes de contato. Desse modo, a córnea pode acabar contaminada ao unir-se à lente que está no olho, ocasionando também uma ceratite infecciosa. Além disso, o uso excessivo das lentes expõe os olhos à ceratite da mesma forma.

            No caso da ceratite ser viral, curiosamente o vírus mais comum que causa a inflamação da córnea é o vírus da herpes (Herpes simplex), o que pode vir como uma grande supresa para alguns que o associam a outras situações e ignoram essa possibilidade. Quando bacteriana, uma das bactérias capazes de gerar ceratite é a mesma bactéria causadora da gonorreia (Neisseria gonorrhoeae). Outra situação para a qual devemos nos atentar é para a água contaminada – principalmente agora no verão, em que todo mundo está atrás de piscinas ou rios para se refrescar. As bactérias, fungos e parasitas presentes na água podem entrar em nossos olhos enquanto nadamos, tendo por consequência o surgimento da ceratite. Contudo, ainda que você esteja exposto a essas bactérias, fungos ou parasitas, a probabilidade de uma córnea saudável ser infectada é muito remota, a menos que a superfície da sua córnea já tenha sentido algum dano anterior a essa exposição e mostre-se vulnerável.

            Assim, é preciso que nos mantenhamos vigilantes em relação a qualquer alteração em nossa visão, uma vez que as complicações relativas à ceratite podem levar inclusive à cegueira. Dentre os sinais ou sintomas mais comuns associados a essa condição, temos: vermelhidão e dor dos olhos, lacrimejamento, dificuldade em abrir a pálpebra por conta de dor ou irritação, visão embaçada e diminuída, sensibilidade à luz (fotofobia) e sensação de que há algo no olho. Se uma dessas situações começar a incomodar, procure o seu oftalmologista de confiança para que possa averiguar o tipo de ceratite com que está lidando, se esse for o seu caso, e o tratamento mais adequado.

Marque sua consulta com especialista rapidinho, aqui.

Comentários: